• Carlos Henrique Lima

POR QUE EU DEVERIA TER UMA MÚSICA ORIGINAL DA MINHA EMPRESA?




Vamos analisar alguns fatores para poder responder a esta pergunta.


Em um mundo que parece cada vez mais visual, ouvimos dizer que as pessoas compram e consomem cada vez mais pelos olhos, isso é notoriamente verdadeiro. Mas será mesmo que os olhos são a porta de entrada mais eficaz para se vender um produto ou serviço?


A audição é um dos únicos sentidos do corpo humano que não necessita ser estimulado voluntariamente. Você não escolhe quando vai, ou não, usar a audição, você simplesmente ouve. É uma porta sempre aberta! E será acessada por aqueles que fizerem uso inteligente desse caminho.


Você com certeza já ouviu um “ifooood” por aí... Talvez um “Amanco!” ou ainda - de maneira mais suave - um “Decolar ponto coooom”.


Essas marcas fizeram com que seus nomes chegassem até você de uma maneira muito específica, sem que você precisasse folhear uma revista, ler atentamente um jornal ou passar por um outdoor gigante na esquina mais cara da cidade. Eles chegaram enquanto você dirigia ouvindo o noticiário da rádio pela manhã, no intervalo do jogo do seu time na TV e até mesmo antes de assistir a alguns vídeos no youtube.

O fato é que você não escolheu ouvir as músicas dessas marcas, você apenas ouviu e, pronto, os nomes das empresas já ficaram em sua mente, entraram por aquela porta sempre aberta e, ao menor descuido, você já estava cantarolando “Ifooood”.


Vamos pensar rapidamente sobre cada um desses veículos que usam música e áudio como propaganda.

O rádio - hoje - ainda é o veículo de comunicação mais consumido do país. Os programas jornalísticos e podcasts estão renovando o jeito de se fazer rádio e surpreendentemente, ao contrário do que se esperava há tempos, ele está mais vivo do que nunca.

Três em cada cinco pessoas escutam rádio diariamente no Brasil, e a média de tempo com o rádio ligado é de 2h21min! É o que mostra a pesquisa “Book de Rádio” elaborada pelo Kantar Ibope.

Apenas no primeiro semestre de 2018, foram investidos nesse segmento quase 3 milhões de reais em inserções publicitárias, divididos em mais de 1 milhão de horas de publicidade sonora.


Outro meio muito importante para publicidade audiovisual é – claro - a televisão. Emissoras consagradas no mercado seguem tendo seu grande público e divulgando produtos e serviços 24 horas por dia. Porém, agora há concorrentes e os principais estão na internet, em plataformas como o Youtube.

Essa "briga" entre os meios de comunicação é boa para o anunciante, que tem mais opções e pode escolher qual veículo é mais adequado e mais vantajoso para sua campanha.


O crescimento dos aplicativos de música como Spotify, Apple Music, Dezzer e outros, também é um fator que deve ser levado em consideração. Caso o usuário desses aplicativos não queira pagar as mensalidades, ele pode usar gratuitamente os serviços, porém terá entre suas músicas algumas propagandas. Mais uma vez, uma oportunidade para o anunciante.


Seja no Rádio, na TV, no Youtube ou no Spotify, atrair clientes pelo ouvido, através da música, parece um negócio cada vez mais promissor.


Carlos Henrique Lima,

Produtor Musical.


113 visualizações1 comentário
Música, Marca!